Para coroar os inúmeros avanços obtidos com o Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado, a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA) do Estado de São Paulo, realizou no último dia 14, no município de Barra Bon do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável - Microbacias II – Acesso ao Mercado. No evento, foram apresentados os resultados que vêm fortalecendo centenas de organizações rurais paulistas, bem como gerado emprego e renda para milhares de famílias no campo. Além disso, produtores que participaram do Projeto deram depoimentos emocionantes que exemplificam a mudança na qualidade de vida dos agricultores. O Fórum trouxe ainda apresentações artísticas de comunidades quilombolas e, ao final, uma plenária foi promovida para responder as dúvidas dos participantes. Cerca de 450 pessoas compareceram ao evento.

Na solenidade de abertura, o coordenador da CATI, João Brunelli Júnior, disse que o Projeto busca a emancipação das associações e cooperativas. “O papel do Estado é ser facilitador e o papel dos agricultores familiares, após receberem os incentivos do Microbacias II, é caminhar com as próprias pernas e aprenderem a gerir o próprio negócio. Portanto, a partir de agora, vocês são gestores da sua associação e cooperativa”, frisou. Brunelli disse também que esse “caminhar” tem se amadurecido ao passo que os projetos são implantados. “O Projeto trouxe uma nova realidade para essas organizações rurais, que agora necessitam buscar fornecedores, identificar clientes e enfrentar as adversidades que o mercado apresenta. Portanto é um desafio novo para todos”, classificou.
 


O secretário-adjunto da SAA, Rubens Rizek Jr, compareceu ao evento para representar o titular da pasta, o secretário Arnaldo Jardim, e destacou o trabalho dos técnicos envolvidos no Projeto. “Se não fosse pela garra e dedicação dos técnicos da SAA, o Projeto não faria o sucesso que está fazendo. Temos que agradecer a esses servidores competentes e que lutam, dia a dia, para o fortalecimento da agropecuária no Estado”, lembrou.
 


A gerente do Microbacias II, Helena Carrascosa, da Secretaria do Meio Ambiente (SMA), disse que o intercâmbio de informações entre as pastas foi essencial. “Trabalhamos juntos, Agricultura e Meio Ambiente, e isso garantiu que o Microbacias II – Acesso ao Mercado se tornasse referência para outros estados do País. Não dá para falar em produção sem conservação”, ressaltou a gerente, completando que “o produtor rural é nosso parceiro no que diz respeito a uma nova consciência na forma de produzir e conservar”.
 


Antes de ar início às falas, o coordenador da CATI fez uma apresentação com dados sobre o número de organizações rurais beneficiadas, bem como valores de reembolsos a serem feitos e destacou que, após o Projeto, associações e cooperativas estão aprendendo a fazer compras com mais responsabilidade, além de poderem ampliar e diversificar a produção. Logo após, representantes dos municípios de Colômbia e Divinolândia, atendidos pela CATI Regional Barretos e CATI Regional São João da Boa Vista, respectivamente, forneceram depoimentos sobre as melhorias proporcionadas após as readequações feitas em estradas rurais. “Conseguimos recuperar cerca de 9km de estradas rurais que estão proporcionando um escoamento mais rápido da produção”, disse João Batista Vivarelli, vice-prefeito de Divinolândia, beneficiada com quase R$ 400 mil em recursos do Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado para recuperação de estradas rurais.
 

Representantes da Secretaria de Agricultura apresentaram um balanço do Projeto e agradeceram o empenho 
os servidores da instituição e dos produtores rurais.


Em seguida, foi a vez de produtores rurais subirem ao púlpito para relatar a satisfação com as ações e os projetos implementados após os investimentos viabilizados com os recursos do Microbacias II.

No município de Pratânia, a Associação dos Produtores Rurais da Microbacia Hidrográfica do Rio Claro e da Cooperativa Prata de Cafés Especiais (Cooperprata) foi contemplada em três Chamadas Públicas. No total, foram investidos mais de R$ 1,8 milhão na implantação de agroindústria de torrefação de café e também em investimentos em colheita mecanizada e beneficiamento. Emocionado, Luis Carlos Bassetto, presidente da organização, lembrou do passado difícil. “Havia um desestímulo muito grande. Cheguei a sair da agricultura e me aventurei em outras profissões porque não tinha mais vontade de seguir com a terra”, contou enquanto enxugava as lágrimas. “A Secretaria de Agricultura e a CATI proporcionaram a vinda desse Projeto maravilhoso, o Microbacias II, e, hoje, nossa organização conseguiu estruturar a colheita do café e diminuiu o custo de colheita, que consome cerca de 40% do custo do café”, disse Bassetto, afirmando que a unidade de processamento de café fez com que o valor do café ofertado aumentasse.

Na cadeia produtiva de grãos, Franklin da Silva Neto, presidente da Associação dos Produtores Rurais de Lourdes, abriu o coração e falou sobre o sonho realizado. “Todo produtor de grãos do município de Lourdes tinha um sonho que parecia inacessível a curto prazo. A construção de um silo graneleiro para armazenamento parecia ser uma coisa distante. Mas o Microbacias II provou que, com empenho, dedicação e, principalmente, vontade, é possível realizar o sonho. Com o armazenamento dos grãos obtivemos um preço melhor de comercialização e conseguimos construir nosso próprio escritório. Somos muito gratos a todos os órgãos envolvidos e que contribuíram para que nossa Associação tivesse sua realidade transformada”, contou com os olhos marejados.

Com o Projeto, outras cadeias produtivas também foram beneficiadas, como no caso da fruticultura no município de Valinhos, considerado o maior produtor de figo de mesa do Brasil e o maior produtor de goiaba de mesa do Estado de São Paulo. A contemplada foi a Associação Agrícola de Valinhos e Região, que implantou um packing house, além da criação de marca e investimentos em transporte. O presidente da Associação, Pedro Pellegrini, lembrou da época em que a organização rural quase fechou as portas. “Em 2005, tínhamos apenas 26 associados e tudo parecia nebuloso, com muitas dificuldades. Em 2008, solicitei um terreno ao prefeito e ele me lançou um desafio: ‘Se você não construir nada em três anos, tomo o terreno de volta’” contou. Foi então que surgiu o Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado. “Graças ao Projeto conseguimos construir nosso packing house, temos uma Central de Compras que valoriza nosso produto em até 30% e hoje somos em 202 associados”, alegrou-se ao falar.
 

Exposição de painéis e apresentações artísticas de comunidades quilombolas atraíram o público presente


Um ano - muitas mudanças

Presente no Fórum do ano passado, quando apresentou sua experiência junto ao Microbacias II, o presidente da Cooperativa Cooperlimão, Orlando dos Santos, afirmou que, de lá para cá, a Cooperativa passou por mudanças significativas “No ano passado eu estava dando meu depoimento sobre nossa Cooperativa. À época, comercializávamos 265 mil caixas de limões com cerca de R$ 1 milhão de lucro bruto. Só neste ano, comercializamos 635 mil caixas de limão e obtivemos R$ 17 milhões de lucro bruto”, revelou Orlando.

Segundo o presidente da Cooperlimão, o próximo passo da organização é exportar as frutas. “Nosso sonho é exportar. Estamos conversando com representantes da China e da Holanda que estão muito interessados em adquirir nossos limões. Vamos continuar trabalhando, com os pés no chão, para alcançarmos nosso objetivo”, concluiu.

Comunidades tradicionais

Durante o evento, a Associação dos Remanescentes de Quilombo do Bairro São Pedro e a Associação Quilombola São Miguel Arcanjo do Morro Seco, ambas atendidas pela CATI Regional Registro, fizeram apresentações artísticas para mostrar suas tradições culturais, mantidas graças aos recursos do Projeto Microbacias II, que permitiram a compra de uniformes, instrumentos além de outros itens. Benedito Câncio Alves, da Quilombola São Miguel Arcanjo do Morro Seco, disse que tudo o que a comunidade conseguiu foi por meio do Microbacias II. “Com o Projeto compramos tratores e outros equipamentos e nosso sentimento é de gratidão por toda a ajuda que o pessoal da CATI nos forneceu. Foram eles que fizeram a gente andar para frente. Tenho certeza de que todas as comunidades contempladas devem estar muito satisfeitas”, disse Câncio.

Plenária

Para debater o Projeto e avaliar o impacto de suas ações, uma plenária foi realizada no desfecho do Fórum. O coordenador da CATI, ao lado gerente do Microbacias II, Vivaldo Viganó, e o secretário-executivo do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap), Fernando Penteado, responderam a todas as dúvidas dos presentes. O intercâmbio de experiências é uma estratégia de aprendizado para as associações e cooperativas, que podem, a partir daí, aprimorar seus processos de produção, comercialização e gestão, além de compartilhar dificuldades e aprendizados.

Confira a Edição Especial do CATI On-Line 498 sobre o IV Fórum do Microbacias II - Acesso ao Mercado. Veja aqui: goo.gl/naDed8


Veja o álbum de fotos do  IV Fórum do Microbacias II aqui: goo.gl/r31C2j


Veja todos os vídeos do  IV Fórum do Microbacias II:

CATI - Fórum Microbacias II 2017 - Abertura
https://youtu.be/g27F9I2wK-E

CATI - Fórum Microbacias II 2017 - Vídeo Geral
https://www.youtube.com/watch?v=fDcHb4RuuR4

CATI - Fórum Microbacias II 2017 - Mensagem do Secretário
https://www.youtube.com/watch?v=abw8iuEuFE8

CATI - Fórum Microbacias II 2017 - Infraestrutura
https://www.youtube.com/watch?v=Hqk1Slo1T90

CATI - Fórum Microbacias II 2017 - Secretaria do Meio Ambiente
https://www.youtube.com/watch?v=pIgPyFZZbYw

CATI - Fórum Microbacias II 2017 - Cafeicultura
https://www.youtube.com/watch?v=8xWehSGVO38

CATI - Fórum Microbacias II 2017 - Leite
https://www.youtube.com/watch?v=fEBvFWjUF5s

CATI - Fórum Microbacias II 2017 - Grãos
https://www.youtube.com/watch?v=nxCJUVCso9g

CATI - Fórum Microbacias II 2017 - Comunidades Tradicionais
https://www.youtube.com/watch?v=YX9twWg5WdA

CATI - Fórum Microbacias II 2017 - Fruticultura
https://www.youtube.com/watch?v=zJLY0anvUdo

CATI - Fórum Microbacias II 2017 - Olericultura
https://www.youtube.com/watch?v=LcEFkgARtz4

CATI - Fórum Microbacias II 2017 - Outras Cadeias
https://www.youtube.com/watch?v=dG2w4mlq4vM


Vinícius Agostini - Jornalista - Centro de Comunicação Rural (Cecor/CATI)

Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859
jornalismo@cati.sp.gov.br

Voltar


© Copyright 2017 - CATI - Coordenadoria de Assistência Técnica Integral. Todos os direitos reservados.