06/02/2019 08:00

Em janeiro deste ano, extensionistas, pesquisadores e produtores rurais estiveram mais uma vez reunidos para discutir sobre o fortalecimento e a ampliação do cultivo de feijão preto na região do Vale do Paraíba. Essa foi a terceira reunião, outras duas já haviam ocorrido nos meses de novembro e dezembro de 2018. A proposta é dar continuidade às discussões que têm como proposta a retomada da produção de feijão preto na época da entressafra do arroz irrigado no Vale do Paraíba.

O terceiro encontro tratou sobre “Cultivares e Manejo Fitotécnico da Cultura de Feijão Preto”, em palestra realizada pelo pesquisador Alisson Fernando Chiorato, do Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, do Centro de Grãos e Fibras.  Essa palestra foi desenvolvida em continuidade às ações integradas entre os órgãos da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, no caso IAC, que faz parte da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), e CATI.

“As ações compõem o Projeto Regional de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva de Grãos, articulado e desenvolvido em continuidade aos objetivos do Projeto Microbacias II − Acesso ao Mercado, que ampliou a infraestrutura da Cooperativa dos Produtores de Arroz do Vale do Paraíba (Coopavalpa), e tem o objetivo de desenvolver ações de assistência técnica e extensão rural no sentido de capacitar os produtores para a utilização das Boas Práticas de produção agrícola, visando ao aumento de produtividade e à qualidade do arroz, além de contribuir para o estabelecimento de alternativas agrícolas compatíveis com as demandas do mercado, como é  caso das culturas de milho e soja”, explicou Jovino Paulo Ferreira Neto, diretor da CATI Regional Guaratinguetá.

       

A atividade foi realizada na sede da CATI Regional Guaratinguetá, no dia 30 de janeiro, e contou com produtores rurais e representantes técnicos das entidades parceiras. Durante o encontro, houve a definição dos produtores interessados, a área a ser ocupada e a necessidade de sementes. A coordenação dos trabalhos de assistência técnica aos produtores será realizada em parceria entre CATI e a Coopavalpa e terá a cooperação da Apta/ IAC-Centro de Grãos e Fibras.

Nas duas reuniões anteriores, os diretores das CATI Regionais Guaratinguetá e Pindamonhangaba, Jovino Ferreira Neto e Haley Carvalho, respectivamente, levaram agricultores da Coopavalpa e os agricultores orgânicos de Pindamonhangaba para ouvir sobre as condições oferecidas para adesão ao projeto. A palestra foi feita pelo pesquisador do Centro de Grãos e Fibras, Alisson Chiorato.

       

“O IAC, junto com uma reconhecida empresa de alimentos da região e com os técnicos da CATI está identificando os agricultores interessados em retomar a atividade. A região já teve experiência no passado, com a produção de feijão preto; com a parceria, a empresa se compromete a comprar o produto, enquanto o IAC fornece as sementes aos participantes do projeto e a CATI presta assistência técnica”, explicou o pesquisador.

O projeto vem ao encontro da missão institucional da CATI, que é a de fortalecer a agricultura familiar nas questões de geração de renda e sustentabilidade. “As reuniões oferecem a oportunidade de conversar com mais representantes da cadeia produtiva, especialmente os produtores rurais”, comentou Haley Carvalho.

Texto: Graça D'Auria - Jornalista - Centro de Comunicação Rural (Cecor/CATI)

Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859

jornalismo@cati.sp.gov.br

Voltar


© Copyright 2019 - CATI - Coordenadoria de Assistência Técnica Integral. Todos os direitos reservados.