11/04/2017 08:00

Acesse o video


 

A Associação dos Produtores Rurais de Urupês (Apru) subiu mais um degrau em uma escalada que está levando a produção de limão de agricultores familiares do município de Urupês, cidade de pouco mais de 13 mil habitantes, pertencente à área de atuação da CATI Regional Catanduva, rumo ao mercado externo, principalmente o Europeu e o dos Estados Unidos. No dia 30 de março, com a presença do secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, e de diversas autoridades, os associados inauguraram a área administrativa de sua sede, que foi construída e equipada com recursos do Projeto Microbacias II e também com recursos próprios.

Durante a solenidade realizada nas novas instalações, o presidente da Associação, Eduardo Delboni, em um depoimento emocionado, resumiu o sentimento de todos os associados. “Houve momentos de muitas dificuldades, em que pensamos em desistir. Muitas vezes, eu não acreditava que chegaríamos tão longe, mas conseguimos conquistar tantas coisas, que hoje eu venho à Associação todos os dias, às vezes mais de uma vez por dia. E quando não venho, sinto muita falta”, falou o produtor, enaltecendo o trabalho da Secretaria. “Sem o apoio da Secretaria e de seus técnicos, principalmente os da CATI, que estiveram e estão sempre ao nosso lado, nos incentivando, apoiando e resolvendo as dificuldades que foram aparecendo pelo caminho, não teríamos conseguido sozinhos”.

Também emocionado por ver o resultado do esforço conjunto entre produtores e poder público, o secretário Arnaldo Jardim destacou a união dos associados e sua confiança no trabalho dos técnicos da CATI, que se empenharam para que o projeto saísse do papel e se concretizasse em benefícios que estão mudando a vida dos produtores da Apru e impactando no desenvolvimento de todo o município. “Estamos seguindo as orientações do governador Geraldo Alckmin ao apoiar o pequeno produtor e o agricultor familiar. O setor agropecuário está buscando alternativas e é capaz de fazer a diferença para o País voltar a crescer”, disse Arnaldo Jardim.  

Como representante do poder público municipal, o prefeito de Urupês, Alcemir Cássio Gréggio “Bica”, também ressaltou a importância de se apoiar a atividade agrícola. “Nosso município é essencialmente agrícola e tudo o que é feito em favor da agricultura tem reflexo para toda a população e para o nosso desenvolvimento econômico. É gratificante ver o resultado de um trabalho tão árduo que os produtores de limão fizeram e estão fazendo: primeiro nos sítios, investindo para produzir com qualidade; hoje, com a prática que eles têm, até ajudam os técnicos na busca das melhores soluções para os problemas de manejo da produção; e agora na Associação, que agregou valor à produção e tem gerado renda e emprego aqui. Estaremos sempre prontos a apoiar as ações deles”.

Para o coordenador da CATI, João Brunelli Júnior, cada Iniciativa de Negócio proposta e aprovada pelo Projeto Microbacias II  - quando se materializa em empreendimentos que geram renda, emprego, qualidade de vida e perspectiva de futuro na atividade agrícola para jovens permanecerem no campo - é um como o nascimento de filho muito esperado. “O Microbacias II tem proporcionado um importante estímulo para o desenvolvimento, não só da Apru, mas de mais de 300 empreendimentos de associações e cooperativas beneficiadas em todo o Estado, alcançando milhares de famílias rurais. Ver as conquistas dos produtores e o seu crescimento nos traz um ânimo novo para continuar o trabalho de extensão rural”.
 

       


As conquistas da Apru

Contemplada na segunda e na sexta Chamadas Públicas do Microbacias II, a Apru construiu e equipou o seu packing house, beneficiando diretamente 26 famílias de produtores associados, além da população em geral, que tem acesso a alimentos de melhor qualidade. “Nessa última etapa, a entidade fez mais algumas adequações na estrutura do barracão, construiu escritório e sala de reunião, bem como adquiriu móveis novos, equipamentos de informática e uma balança eletrônica com capacidade para pesar 80 toneladas, que irá facilitar a classificação dos limões. No total, foram investidos R$ 1.028.127,90, sendo R$ 719.689,53 apoiados pelo Projeto Microbacias II”, informa Cláudio Giusti de Souza, diretor da CATI Regional Catanduva.

Giusti frisou que sem o intenso acompanhamento dos técnicos locais, os resultados não seriam tão bons. “O nosso técnico da Casa da Agricultura André Luis Logullo, que é conveniado da prefeitura, vestiu a camisa e, junto com os técnicos Christiano Milanez de Castro, Ana Beatriz Vieira Sachi  e Ricardo dos Santos da Silva da Regional, apoiou os produtores em todas as etapas”, avaliou Giusti lembrando também do apoio dos extensionistas Mário Fumes e Gabriel Volpi, da CATI Regional Botucatu, que ministraram dois cursos de motivação aos produtores, orientando-os também sobre associativismo.

Segundo o presidente da Apru, no momento a Associação está adquirindo uma câmara fria com capacidade para armazenagem de 21 toneladas da fruta. Também está sendo construída uma balança eletrônica para pesar a carga dos caminhões. “Além disso, estamos fazendo adequações no packing house em conformidade com as novas legislações para exportação, para garantir ainda mais a sanidade de toda a nossa produção, para que o alimento que produzimos faça bem às pessoas que o consumirem”. 
 

       


Comercialização da Apru ganhou força e avançou com a criação de uma cooperativa

No final do ano passado, com total apoio dos técnicos da CATI e de João Belato, técnico do Instituto de Cooperativismo e Associativismo (ICA), órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, os associados da Apru venceram o medo e a resistência de dar um passo maior, e criaram uma cooperativa, para expandir e profissionalizar, ainda mais, a comercialização da produção de limão, que, em 2016, alcançou mais de 250 mil caixas, com cerca de 27kg cada.

Segundo Orlando dos Santos, conhecido como Fumaça, que foi um dos fundadores da Apru e hoje é presidente da Cooperlimão, como foi batizada a nova entidade, os resultados dos primeiros meses de atuação da Cooperativa são animadores. “Em quatro meses giramos cerca de 1,9 milhão de reais em comercialização. Geramos mais de uma dezena de empregos diretos e outros indiretos. Estamos profissionalizando as nossas áreas administrativa e de venda. No começo, tivemos receio de dar mais esse passo, mas os técnicos da CATI mais uma vez foram incríveis, o Brunelli, os técnicos da Casa da Agricultura e da Regional de Catanduva, que compraram o desafio conosco.

Sobre o projeto de exportação, que será efetivado por meio da Cooperativa, o presidente da Apru explica que a entidade está fazendo os últimos ajustes para adquirir uma certificação exigida para exportar a sua produção. “Estamos fazendo os últimos ajustes para iniciar o processo de certificação, que nos permitirá exportar a nossa produção”.

No dia 3 de abril, o presidente da Cooperativa e o prefeito municipal de Urupês, participaram, na cidade de São Paulo, de reunião com membros dos governos federal e estadual para falar sobre exportação e voltaram animados. 
 

       


Cleusa Pinheiro - Jornalista - Centro de Comunicação Rural (Cecor/CATI)

Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859
jornalismo@cati.sp.gov.br

 

Voltar


© Copyright 2017 - CATI - Coordenadoria de Assistência Técnica Integral. Todos os direitos reservados.