13/04/2017 08:00

Acesse o video

Representantes e consultores do Banco Mundial compareceram à Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA) do Estado, no último dia 11 de abril, para discutir os resultados alcançados com o Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado e a possibilidade de prorrogar o prazo do Projeto, que se encerra no mês de setembro. No mesmo dia, o secretário Arnaldo Jardim fez a entrega de 27 veículos para as Regionais CATI e para a sede do órgão. No total, 50 veículos foram adquiridos neste ano por meio do Microbacias II em parceria com o Banco Mundial e com o governo paulista, totalizando um investimento de R$ 3.135.000,00.

De acordo com o coordenador da CATI, João Brunelli Júnior, a missão do Banco Mundial faz uma supervisão e também a avaliação de desempenho do Projeto. “Como estamos a cinco meses da finalização do acordo do empréstimo com o Banco Mundial, a CATI está fazendo a tomada de posição em relação a tudo o que é possível realizar dentro do prazo. Ao mesmo tempo, estamos discutindo a possibilidade de prorrogar o Projeto por mais um ano. Dessa forma, finalizaríamos algumas ações com mais tranquilidade”, ressaltou Brunelli.

Ao falar sobre o Microbacias II, Brunelli destacou que o Projeto tem sido uma excelente ferramenta de desenvolvimento sustentável. “Ele permitiu que as cooperativas ‘caminhem com as próprias pernas’ e isso é um aprendizado. Porém, a situação econômica atual do País cria dificuldades para os homens do campo. O atraso na execução do Projeto se deu principalmente nos desembolsos das associações e cooperativas, por conta da situação econômica. Mas isso não tira o brilho do desenvolvimento que o Microbacias trouxe para as associações e cooperativas”, lembrou.

Maurizio Guadagni, consultor do Banco Mundial responsável pelo Projeto e especialista em práticas agrícolas, ressaltou a importância da parceria com o governo paulista e afirma que notou a melhora na implementação do Projeto. “Em particular, nos últimos seis meses, o desempenho do Projeto melhorou significativamente. Como o prazo final é em setembro, precisamos esperar o aval final do Banco Mundial para saber se será possível estender o prazo para mais um ano”, revelou. Maurizio afirma estar positivo com relação ao adiamento. “O Microbacias II foi um sucesso no Estado de São Paulo e muitas conquistas foram possíveis. É um projeto muito importante para a CATI”, avaliou.

O secretário Arnaldo Jardim afirmou que a avaliação do Banco Mundial parece ser positiva. “A missão reconhece os avanços que foram feitos e esse é um desafio constante, ou seja, aperfeiçoar os instrumentos de controle e, por outro lado, dar maior agilidade ao Projeto”, frisou. Jardim destacou ainda que a reunião com todos os diretores das Regionais no auditório da CATI, promovida no mesmo dia, mostra o esforço do governo paulista em trabalhar pela prorrogação do prazo para fornecer mais qualidade de vida e geração de renda ao agricultor.


       


Entrega de veículos

Ainda no dia 11 de abril, o secretário Arnaldo Jardim entregou 27 veículos, sendo 17 para Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDRs) da instituição, chamados de CATI Regionais, e outros 10 que serão utilizados por técnicos para apoiar as atividades realizadas pelas unidades centrais da instituição, em Campinas.

As Regionais beneficiadas com as aquisições foram: Presidente Prudente, Registro, Presidente Venceslau, Itapeva, Mogi das Cruzes, Campinas, Assis, Avaré, São Paulo, Guaratinguetá, Mogi Mirim, Itapetininga, Botucatu, Ourinhos, Sorocaba, Pindamonhangaba e Bragança Paulista. Os outros 23 carros foram entregues para as demais Regionais nos dias 30 de março e 4 de abril.

Durante a entrega, o secretário Arnaldo Jardim informou que os veículos permitirão maior apoio aos projetos executados pela Secretaria de Agricultura para desenvolvimento da agropecuária paulista, como o Microbacias II e o Levantamento Censitário das Unidades de Produção Agropecuária do Estado de São Paulo (LUPA), bem como o desenvolvimento da pecuária de leite e fomento da aquicultura e piscicultura. “A aquisição dos veículos possibilitará melhores condições de promover a assistência técnica e a extensão rural, atendendo, de forma ágil e eficiente, os produtores rurais. Apoiar o pequeno produtor e agricultor familiar é uma das diretrizes do governador Geraldo Alckmin para a pasta”, ressaltou Jardim.

Para o engenheiro agrônomo Antônio Eduardo Sodrzeieski, diretor da CATI Regional Registro, a substituição da frota chegou em boa hora. “O veículo é adequado para que nós consigamos ter acesso às propriedades localizadas no Vale do Ribeira”, exemplificou.

José Augusto Maiorano, diretor da CATI Regional Campinas, afirma que os novos veículos possibilitam um investimento maior na extensão rural, bem como a diminuição nos custos de manutenção do veículo.
 

       

 

Vinícius Agostini  - Jornalista - Centro de Comunicação Rural (Cecor/CATI)

Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859
jornalismo@cati.sp.gov.br

 

Voltar


© Copyright 2017 - CATI - Coordenadoria de Assistência Técnica Integral. Todos os direitos reservados.