28/04/2017 08:00

Acesse o video


O “Salão dos Pratos”, no Palácio Bandeirantes, sede do governo do Estado de São Paulo, foi pequeno para o grande número de prefeitos, deputados estaduais, vereadores dos mais diversos municípios, técnicos e diretores das Regionais CATI que compareceram à assinatura de convênio dos municípios com a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo para a reabilitação de trechos críticos de estradas rurais e reforma de Casas da Agricultura, viabilizadas pelo Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado, que chega ao quinto ano de atuação beneficiando mais de 300 associações e cooperativas de produtores rurais.

No total, estão sendo disponibilizados mais de R$ 31 milhões, sendo R$ 5.449.426,84 para a reforma de 18 Casas da Agricultura e duas Regionais CATI, Catanduva e Votuporanga, e o restante, quase R$ 26 milhões, na reabilitação de trechos críticos de estradas rurais em 46 municípios onde cooperativas e/ou associações tiveram Propostas de Negócio aprovadas e executadas via Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado. Segundo o coordenador da CATI, João Brunelli Júnior, esse grande número de adesões reflete a importância do Projeto, principalmente em municípios onde a agricultura é a maior fonte de economia. “Trata-se de um momento difícil para a economia e este recurso (até R$ 700 mil) vem em boa hora para as prefeituras, que não precisam arcar com uma contrapartida em valores, mas apenas em paisagismo e colocação de placas”, afirmou Brunelli, reforçando que “agora é preciso empenho de todos, CATI e prefeituras, para que as licitações e as obras ocorram dentro do prazo estipulado”.

Segundo o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, com o grande avanço do Projeto Microbacias II nos últimos tempos, há a esperança de que possa haver uma prorrogação do Projeto por parte do Banco Mundial, o qual financia grande parte dos recursos aplicados. “Temos trabalhado para isso, é um Projeto que tem vindo ao encontro do que preconiza o governador do Estado, Geraldo Alckmin, que é a geração de emprego e renda. O Microbacias II tem mudado a realidade e a vida de produtores rurais que estão encontrando novos nichos de mercado onde podem competir com qualidade. Além disso, foi avaliado pela equipe do Banco Mundial como o de melhor desempenho”.

O governador Geraldo Alckmin lembrou as várias cadeias produtivas que estão sendo beneficiadas em todo o Estado de São Paulo com a possibilidade de aquisição de equipamentos para processamento que permitem a agregação de valor e a logística de entrega de produtos. “Onde se vendia o leite, hoje se vende queijo, iogurte, enfim, houve agregação de valor”. Alckmin lembrou as várias cadeias produtivas que têm sido beneficiadas ao longo da execução do Projeto, como a cafeicultura, a fruticultura, a olericultura, entre outras. Falou também sobre a importância do associativismo e cooperativismo para a concretização destes projetos e na dificuldade das prefeituras na recuperação de estradas vicinais, que apresentam variáveis diversas e são tão importantes não só para o escoamento da produção, mas para todas as atividades diárias na área rural.

Para os prefeitos, “esta é uma oportunidade única”. Falando em nome dos prefeitos presentes, Márcio Cardim, que assumiu em janeiro a Prefeitura de Adamantina, lembrou da importância de se apoiar a agricultura familiar, que é responsável pela produção variada de alimentos. “Os agricultores familiares garantem que não nos tornemos reféns da monocultura; a agricultura familiar sustentável é a nossa esperança para o futuro. Além disso, as estradas rurais proporcionam não só o escoamento da produção; elas são utilizadas para outros fins, como transporte escolar, segurança e acesso à saúde.”, afirmou Cardim.

Adamantina, que ainda não havia utilizado nenhum recurso do Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado para a readequação de estradas, poderá obter o subsídio de até R$ 700 mil no projeto de readequação. “Trata-se de uma estrada com muitos problemas, com muita erosão, encaixada entre barrancos”, contou Maurício Konrad, técnico da Casa da Agricultura. Em Adamantina, duas associações foram beneficiadas pelos recursos do Projeto Microbacias II, a Associação dos Produtores de Leite do Município de Adamantina e Região (Aplemar) e a Associação Passiflora dos Produtores Rurais de Adamantina e Região.
 


O pequeno município de Urupês, com pouco mais de 10 mil habitantes, também receberá recursos para a readequação de 10km de trechos críticos. Alcemir Cássio Grégio, mais conhecido como “Bica”, é o novo prefeito de Urupês e afirmou que depois das chuvas e em início de mandato, é um recurso que vem em muito boa hora. “Nossa economia é muito baseada na produção de limão, temos mais de 850 pequenos produtores que precisam escoar a sua produção e as estradas rurais são o meio para isso”.

Cláudio Giusti, diretor da CATI Regional Catanduva, também estava animado com os novos recursos que permitirão não só a reforma de Casas da Agricultura da sua região, como também a reforma do prédio da Regional. “As reformas nos darão condições de atender melhor o nosso público, que são os produtores rurais, e também autoridades que vêm nos procurar. E para os funcionários é sempre bom ter um ambiente de trabalho agradável”, afirmou Giusti, que acompanhou o Projeto Microbacias II desde o início à frente de duas Unidades Técnicas de Engenharia, General Salagado e Catanduva, e agora como diretor da CATI Regional Catanduva.

Outra Regional que aproveitou bem os recursos do Projeto Microbacias II foi Botucatu, como lembra o diretor da CATI Regional, Júlio Thoaldo Romeiro: “Cinco Casas da Agricultura serão reformadas e vários trechos de estradas também já têm projetos prontos para serem iniciados, totalizando mais de R$ 3 milhões em recursos para a nossa região”, afirmou Júlio.

O governador e o secretário de Agricultura e Abastecimento aproveitaram a ocasião para falar sobre os novos aportes de recursos da ordem de R$ 120 milhões para serem aplicados nos institutos de pesquisa e reformas de estradas rurais, como a chamada “rodovia dos calçados”, mais de 200km de estrada ligando os municípios de Jaú e Franca, responsáveis pela grande produção de calçados masculinos e femininos do Estado de São Paulo.

Cidades que serão beneficiadas com recuperação de estradas rurais: 
Barretos, Colômbia, Anhembi, Botucatu Pardinho, Pratânia, Itajobi, Urupês, Adamantina, Flora Rica, São João do Pau D’alho, Auriflama, General Salgado, Macaubal, Sud Mennucci, Guaratinguetá, Angatuba, São Miguel Arcanjo, Cândido Rodrigues, Ibitinga, Jales, Paranapuã, Pontalinda, Santa Salete, Limeira, Lins, Promissão, Itapira, Aramina, Igarapava, Presidente Prudente, Regente Feijó, Euclides da Cunha Paulista, Presidente Venceslau, Eldorado, Pedro de Toledo, Registro, Brodowski, Ribeirão Preto, Santa Cruz da Esperança, Casa Branca, Divinolândia, Palestina, Potirendaba, São José do Rio Preto e Orindiuva.

Cidades que serão beneficiadas com a reforma da Casa da Agricultura: 
Ribeirão Bonito, Palmital, Ibirá, Flórida Paulista, Patrocínio Paulista, Cachoeira Paulista, Oscar Bressane, Conchal, Nuporanga, Timburi, São Sebastião, Americana, Charqueada, Rio das Pedras, Marabá Paulista, Jacupiranga, Divinolândia e São Sebastião da Grama.

Graça D'Auria - Jornalista - Centro de Comunicação Rural (Cecor/CATI)

Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859
jornalismo@cati.sp.gov.br

 

Voltar


© Copyright 2017 - CATI - Coordenadoria de Assistência Técnica Integral. Todos os direitos reservados.