02/04/2018 09:00

A partir de agora, os produtores da Cooperativa dos Agricultores e Agricultoras do Horto Vergel (Coopervel), que integram o Assentamento 12 de Outubro, em Mogi Mirim, terão melhores condições de escoamento da produção de olerícolas, graças ao galpão obtido com recursos do Projeto Microbacias II. As instalações foram inauguradas pelo secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, no dia 27 de março.

Além da construção do galpão, os cooperados receberam balança eletrônica, caixas plásticas, câmara-fria, equipamentos de informática, furgão isotérmico, móveis de escritório, roçadeira, entre outras máquinas e equipamentos.

O investimento totaliza R$ 564.857, sendo R$ 395.400 apoiados pelo governo do Estado, com a contrapartida de R$ 166 mil da Cooperativa, financiados pelo Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap).

“Vocês estão dando um passo muito significativo, com a aquisição de equipamentos e ferramentas para continuar crescendo. Mantenham o clima de união para fazer a diferença na vida das pessoas. O segredo é descobrir as convergências”, afirmou o secretário.

A vice-prefeita de Mogi Mirim, Lúcia Tenório, destacou o trabalho e lembrou que o termo cooperativa vem de cooperar, trabalhando sempre em equipe. “Que cada um possa fazer sua parte para que façam desse local um grande empreendimento”, disse.

De acordo com a presidente da Coopervel, Maria Nilza Pereira Ramalho, o apoio do governo paulista foi fundamental para o crescimento da entidade. “Sem o Microbacias II não conseguiríamos ter nada do que temos hoje. A verba fez toda diferença em nossa vida. E esse é só o começo do nosso caminho”, disse.

“O Microbacias II possibilitou tornar realidade o sonho de valorizar os produtos, que eles já produzem muito bem, trazendo melhoria na vida dessas famílias. Vocês estão dando um salto de qualidade. Agora, o desafio é fazer a gestão dos negócios, mas vocês estão no caminho certo”, disse o coordenador da CATI, João Brunelli Júnior.

Para o diretor da CATI Regional Mogi Mirim, Roberto Ribeiro, a conquista se deve a um trabalho de equipe. “Só podemos mudar a realidade se houver trabalho coletivo. Já enxergamos melhores horizontes, novas parcerias, para vencer as barreiras e ter o produto reconhecido”, disse.

Para o coordenador da Regional Norte – Araraquara, da Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), Afonso Curitiba Amaral, “a sinergia das ações entre as instituições tem contribuído muito para o desenvolvimento socioeconômico da Cooperativa”.

O agricultor João dos Santos José, primeiro presidente da Cooperativa, se orgulha das conquistas da entidade. “A Cooperativa nasceu há cinco anos, para nos ajudar a escoar a mercadoria. Mas o passo positivo vem agora, que temos uma estrutura para poder valorizar mais a nossa produção e melhorar a vida dos assentados”, disse.

A iniciativa trará melhores condições de fornecer alimentos para a merenda escolar, como relatou a cooperada Roseli Teixeira Rosa. “Agora poderemos buscar outros municípios para oferecer nossos produtos; vai melhorar muito”, disse a produtora de tomate.

Paloma Minke - Jornalista (SAA)

Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859
jornalismo@cati.sp.gov.br

Voltar


© Copyright 2018 - CATI - Coordenadoria de Assistência Técnica Integral. Todos os direitos reservados.