Edição n.º 279  - 12 de abril 2013               

 

15 de Abril: Dia Nacional da Conservação do Solo

 

Como incentivo às práticas conservacionistas, o governo federal instituiu o dia 15 de abril como o Dia Nacional da Conservação do Solo. A data foi escolhida em homenagem ao engenheiro agrônomo americano, Hugh Hammond Bennett, considerado o Patrono Mundial da Conservação do Solo, e que coincide com o dia de seu nascimento. Nesse dia, crianças e adultos do meio rural são incentivados ao plantio de árvores, a participarem de limpeza de córregos e rios, além de assistirem palestras sobre a importância das práticas de conservação. No entanto, diante do cenário atual, a reflexão tem que ser profunda.

 

O desgaste do solo está na base do empobrecimento e, em alguns casos, do desaparecimento da agropecuária e de povos de várias regiões do mundo. Ao falar de conservação do solo, é imprescindível entender que o conceito vai além da contenção de erosão. Envolve o manejo adequado dos recursos naturais, informação, educação e tecnologia para a adoção de práticas conservacionistas amplas, que produzam resultados duradouros, garantindo a sustentabilidade das futuras gerações.

Apesar de o solo paulista ser considerado um dos melhores para a agropecuária, está em estado de alerta: cerca de 80% da área ocupada com alguma atividade agrícola encontra-se com algum grau de erosão. A paisagem rural do Estado, em grande parte, é dominada por pastagens: 7,8 milhões de hectares, ou seja 40% das terras agricultáveis (LUPA, CATI). “Desses, em função do manejo inadequado, da falta de conhecimento e de linhas de crédito específicas, estima-se que 4,6 milhões de hectares estão em estágios iniciais ou medianos de degradação e 1,5 milhão de hectares encontram-se em estágio avançado”, explica o engenheiro agrônomo Mário Ivo Drugowich, diretor do Centro de Informações Agropecuárias da CATI.        

 

Desde a década de 1940, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio de seus órgãos de pesquisa e extensão rural, tem se preocupado com o desgaste do solo e implementado ações. No início, com pesquisas relacionadas à adubação verde e torta de mamona, para a recuperação da fertilidade dos solos, e a difusão de tecnologias conservacionistas como o terraceamento. Na década de 1990, as ações do Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas, executado pela CATI, foram imprescindíveis no aumento da adoção de práticas conservacionistas, por parte dos produtores rurais, bem como com o desenvolvimento de projetos que multiplicaram tecnologias adequadas, como o Plantio Direto na Palha e a Adequação de Estradas Rurais.

 

Atualmente, a Secretaria tem implementado ações e projetos abrangentes, sendo um dos principais o Projeto Integra SP. “O projeto objetiva aplicar conceitos estratégicos de sustentabilidade dos sistemas de produção e conservação do meio ambiente. Para tanto, serão capacitados diretamente quatro mil produtores e elaborados projetos de controle de voçorocas e acompanhamento direto de 310 mil hectares”, ressalta Drugowich, destacando que existe estoque de tecnologias aptas para reverter o processo de degradação. “Cabe a nós, como órgão de extensão rural e assistência técnica, fazer a indicação segura de soluções para as diferentes situações. Como consequência da aplicação e adaptação das tecnologias, será possível aumentar significativamente a capacidade de suporte das pastagens e a reintegração de áreas degradadas ao processo produtivo de grãos, carne e leite. Outro efeito esperado é a mudança de comportamento das pastagens e a inclusão de lavouras no seu complexo produtivo, por meio do Sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta”.

 


Poupatempo Rural é lançado em Itapeva

 

Clique para ver o vídeo

 

Foi lançado no último dia 6, em Itapeva (SP), o Projeto Estadual Poupatempo do Produtor Rural, instituído pelo governo do estado, por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, que será executado pela Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro) com a colaboração dos demais institutos e coordenadorias da pasta.

 

O objetivo do Projeto é centralizar, em um mesmo local, os vários serviços oferecidos pela Secretaria e, dessa forma, otimizar o tempo, reduzir os custos e facilitar o dia a dia do produtor. O Poupatempo do Produtor Rural funciona de forma itinerante, em três unidades móveis, trailers adaptados e equipados com sistemas de informática e equipe de atendimento, os quais possibilitam a divulgação e a realização de cerca de 50 serviços prestados. “Licenças ambientais, declaração de conformidade, guia de trânsito animal, capacitações, cursos, palestras, treinamento, dias de campo, orientações para elaboração de projetos, informações sobre financiamentos por meio do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista, orientações para participação no Microbacias II - Acesso ao Mercado, entre outros serviços que serão oferecidos aos produtores, possibilitando assim uma maior interação entre a Secretaria e seu público, além do desenvolvimento dos municípios por onde passam as unidades móveis”, enumera o governador Geraldo Alckmin.

 

Além da Codeagro, estão envolvidos no Projeto os institutos e coordenadorias da Secretaria como a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) e há possibilidade de vínculos com outras instituições que prestam serviços voltados ao produtor rural.

 

Veja a matéria na íntegra AQUI

 


Fortalecimento de associações de produtores é tema de palestra em Bauru

 

Com a participação de 50 pessoas, entre representantes de associações de produtores rurais e de prefeituras ligadas aos setores de agricultura, educação e serviço social, além de técnicos das Casas da Agricultura, integrantes da CATI  Regional Bauru, foi realizada, no final de março, palestra sobre o Programa Estadual da Agricultura de Interesse Social (PPAIS).

 

Na oportunidade, o engenheiro agrônomo Maurício Konrad, da Casa da Agricultura de Adamantina, pertencente à CATI Regional Dracena, apresentou a experiência do município no trabalho com as associações e as políticas públicas de aquisição de alimentos, dos governos federal e estadual e, também, do Programa Municipal de Agricultura de Interesse Social, do município de Adamantina.

 

Segundo o agrônomo, a região tem um grande potencial de comercialização dos produtos da agricultura familiar, por meio dos programas governamentais como o PAA, PNAE e PPAIS, mas destaca que está sendo pouco explorado. Em sua explanação, enfocou que,  experiências práticas e reais desenvolvidas na CATI Regional Dracena, estão estimulando os diversos setores ligados à produção agrícola a unir forças na viabilização e concretização desse trabalho. “Observamos dificuldades em todos os setores: no processo de compra pelas Instituições, nas informações referentes à produção regional, na adequação de cardápio de acordo com as produções locais, na sazonalidade da produção local, entre outros. Já o setor produtivo tem que melhorar a organização dos grupos formais, a gestão e planejamento da atividade, a organização contábil e a logística de distribuição dos produtos”.

 

Diante desse panorama, a CATI tem papel fundamental na articulação de todos os setores promovendo a integração, a discussão e a busca de soluções, proporcionando benefícios a todos os envolvidos, em sintonia com sua missão na busca do desenvolvimento rural sustentável. “Essa palestra que mostrou a experiência do trabalho da Casa da Agricultura e da Prefeitura de Adamantina, com o PAA e PNAE e, posteriormente, o Programa Municipal, nos mostrou novas perspectivas de trabalho e otimização do uso da miniusina de leite, que está em fase final de construção pela Secretaria Municipal de Agricultura de Bauru, declarou Rafael Santana de Lima, diretor de abastecimento do município.

 

O diretor da CATI Regional Bauru, Johannes Peter Feldenheimer, enfatizou os diversos esforços realizados nesta área pela Regional. “Ocorreram diversas reuniões com os setores de prefeituras municipais e penitenciárias da região Noroeste do Estado e com as organizações de produtores, além de eventos sobre políticas públicas. No entanto, desta vez, pôde-se trazer uma experiência prática realizada em outro município. Essa interação e troca de experiências, entre as Regionais da CATI, trouxeram uma nova motivação a todos”.  

 


Fortalecimento da pesca artesanal e melhoria da alimentação

escolar em Itanhaém

 

O Conselho de Desenvolvimento Econômico da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb), fórum integrado por prefeitos dos nove municípios da região, em reunião realizada no dia 26 de março, aprovou por unanimidade a proposição apresentada pela Câmara Temática de Agropecuária, Pesca e Aquicultura, para disponibilização de    R$ 90 mil do Fundo do Condesb  para a Prefeitura de Itanhaém. Esses recursos serão destinados à conclusão da unidade de processamento de pescado do município e aquisição de um veículo para realização de extensão pesqueira.

 

Segundo Luciana Melo, coordenadora do Banco de Alimentos da Prefeitura de Itanhaém, o projeto tem como objetivos fortalecer a pesca artesanal e melhorar a alimentação escolar em Itanhaém. Todo o pescado será adquirido de pequenos pescadores dos municípios da Baixada Santista, processado na unidade e destinado à alimentação escolar. A viabilização dessa iniciativa conta com recursos dos Ministérios da Pesca e Aquicultura (MPA), do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), da Prefeitura de Itanhaém e, agora, do Fundo do Condesb, sendo que o custo total do projeto é de R$ 966.879,48.

 

Odil Vasques Junior, diretor do Departamento de Agricultura da Prefeitura de Itanhaém e relator da Câmara Temática de Agropecuária, Pesca e Aquicultura do Condesb, afirma que um conjunto de projetos foi implantado no município desde 2005, como resultado direto ou consequência do Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas, parceria estabelecida entre a CATI, a Prefeitura e a Associação dos Produtores Rurais da Microbacia Hidrográfica do Rio Branco (Amibra). Já foram implantados projetos como Feiras Populares, Programa de Aquisição de Alimentos, Programa Nacional de Alimentação Escolar, Hortas nas Escolas e Ater indígena. “O compromisso que temos é o do desenvolvimento local sustentável. Esse desafio passa obrigatoriamente pelo fortalecimento da pesca artesanal, com o município realizando a articulação e execução das políticas públicas para o setor”.

 

Para Newton José Rodrigues da Silva, extensionista da Casa da Agricultura de Santos e coordenador da Câmara Temática de Agropecuária, Pesca e Aquicultura do Condesb, a inclusão de pescado na alimentação escolar é um grande desafio para todos os municípios do litoral. Em Itanhaém há uma mobilização local articulada pela Prefeitura, que envolve pescadores, CATI, Instituto de Pesca, Instituto de Cooperativismo, Fundação Nacional do Índio (Funai) e representantes do MPA e MDS. “Essa rede profissional certamente possibilitará que o projeto obtenha resultados positivos. A extensão pesqueira realizada pelos extensionistas da CATI e das prefeituras poderá ter alinhamento de ações com a unidade de processamento, que se constituirá em um novo canal de comercialização de pescado e deverá ter uma gestão compartilhada entre o poder público e os pescadores, podendo se transformar paulatinamente em um empreendimento econômico solidário.

 


Compras governamentais direto do produtor rural é

tema de encontro em Araras

 

Mais de 160 pessoas participaram, no dia 4 de abril, da Reunião de Trabalho sobre Programas Governamentais de Compra de Produtos da Agricultura Familiar, no município de Araras. Estiveram presentes responsáveis municipais das áreas de educação, saúde, promoção social, agricultura, assuntos jurídicos, Conselhos Municipais de Alimentação Escolar, além de prefeitos e representantes de Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural da região de Limeira.

 

O evento, organizado pela CATI Regional Limeira, em parceria com a Prefeitura de Araras, teve o objetivo de esclarecer os gestores municipais de diversos setores sobre os programas governamentais de compra de produtos diretamente do agricultor, aumentando a qualidade dos alimentos adquiridos e a renda do produtor rural.

 

Durante o encontro, Francisco Martins, da CATI, apresentou o Programa Paulista da Agricultura de Interesse Social (PPAIS), uma iniciativa do governo do estado de São Paulo que estabelece que um mínimo de 30% das verbas estaduais destinadas à compra de alimentos, devem ser utilizados para adquirir produtos da agricultura familiar, in natura ou manufaturados. “Esses programas dão ao produtor a possibilidade de vender sem intermediários, o que resulta no aumento da renda. Para o município também é vantajoso, uma vez que acaba movimentando a economia local e os produtos adquiridos chegam mais frescos”, avalia.

 

Veja a matéria na íntegra AQUI

 


Cooperativa de Laticínios de Paraibuna recebe visita de equipe de avaliação do Projeto  Microbacias II – Acesso ao Mercado

  

Como tem acontecido nas demais regiões do Estado de São Paulo, a equipe técnica de avaliação do Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado, coordenada pelo engenheiro agrônomo João Brunelli Júnior, se reuniu, no dia 2 de abril, com dirigentes da Cooperativa de Laticínios de Paraibuna (Cooplap), no Vale do Paraíba, representada pelo tesoureiro Renato Lobato e outros cooperados.

 

O encontro aconteceu na sede da cooperativa e foi acompanhado pelo diretor e por assistentes técnicos da CATI Regional Pindamonhagaba, à qual o município de Paraibuna pertence. “Essa reunião faz parte do processo de avaliação da proposta enviada, bem como de uma oportunidade de conhecer melhor o funcionamento da organização, além de obter mais informações para se realizar uma análise mais criteriosa da iniciativa de negócios”, explicou Brunelli.

 

A Cooplap se formou a partir da união de um grupo de produtores de leite de Paraibuna e região, que se formalizou em 2008. Hoje, são 70 cooperados, dos quais 46 comercializam o leite de forma coletiva e os demais participam de outras ações de suporte, como compra de insumos coletivos, assistência técnica e outras atividades.

 

No decorrer de sua existência, a Cooplap superou desafios, principalmente no que diz respeito à organização para comercialização conjunta, uso de tanques comunitários e individuais, implantação e adequação da INR 51, instalação da sede administrativa, sobretudo no que se refere ao fortalecimento das relações institucionais com a CATI, o Sebrae, e a prefeitura municipal. “Com a boa qualidade da matéria-prima produzida, a cooperativa quer agregar valor, por meio da fabricação de produtos lácteos, contudo precisa se estruturar numa logística de recolhimento e distribuição”, explicou Renato Lobato.

 

Dentro do plano apresentado consta a aquisição de um caminhão com capacidade de 10.890kg, com potência de 173 cavalos e tanque com capacidade de 9 mil litros.

 


CATI e Itesp realizam Dia de Campo sobre Planejamento da Propriedade Leiteira

 

Foi realizado, no dia 28 de março, um Dia de Campo sobre Planejamento da Propriedade Leiteira e sobre o Projeto CATI Leite, nos Sítios São João e São José, do Assentamento Vergel, localizado no município de Mogi Mirim, em prosseguimento à parceria CATI Regional Mogi Mirim e Regional Leste-Araras da Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp).

Na abertura do evento, o diretor da CATI Regional Mogi Mirim, José Luiz Bonatti, e o coordenador da Regional Leste do Itesp, Afonso Curitiba Amaral, reafirmaram o compromisso das duas instituições em trabalhar conjuntamente para melhor atender os agricultores e assentados da região.

 

O engenheiro agrônomo da Casa de Agricultura de Mogi Mirim, Luiz Antonio Dias de Sá, falou sobre o Planejamento da Propriedade Leiteira, demonstrando os critérios necessários para adesão ao CATI Leite e; a importância do diagnóstico da área, da análise de solo, da formação da pastagem, da escolha das variedades de capins, do manejo e da instalação do módulo (piquetes, corredor, bebedouros). Outro ponto relevante, ressaltado pelo agrônomo, foi a  gestão da propriedade com a realização de registros e anotações do fluxo de receitas e despesas.

 

Os participantes, cerca de 40 produtores, inclusive alguns do município de Jacutinga, pertencentes ao Estado de Minas Gerais, conheceram no sítio São João, o módulo instalado, que é de 0,54 hectares e contém 18 piquetes, com pastagem tifton 85, corredor de quatro metros de largura, bebedouro com boia, curral, bezerreiro e área de descanso. “Além dessa área, o produtor possui 0,4 hectares de capineira de cana-de-  açúcar. Nesse sistema, atualmente ele está com 10 matrizes leiteiras, sendo que no mês de março, seis cabeças estavam em produção, duas em final de lactação e uma seca, produzindo uma média de 95 a 100 litros/dia, perfazendo um total de 2.900 litros de leite/mês, tendo como meta chegar aos 250 litros/dia”, explicou Luiz.

 

Após essa visita, o médico veterinário Sandro Augusto Belli, da Regional Mogi Mirim, fez uma explanação sobre o manejo com os animais. Durante a palestra ele difundiu informações relevantes sobre sanidade, vacinações, reprodução com presença do touro e/ou inseminação artificial, dentre outros assuntos.

 

Os produtores do sítio São João, além de participarem do Projeto CATI Leite, também são assistidos pela equipe técnica de extensionistas da Fundação Itesp, formada pelo médico veterinário José Carlos de Mattos Cardoso, o engenheiro agrônomo Patrick Andrew Davies, e o supervisor técnico Jefferson Rodrigo Cantelli, que viabilizou a estruturação da pecuária leiteira do lote, com a elaboração e implantação do Projeto de Investimento Pronaf-A e implementação do kit Cerca Elétrica do Programa de Difusão de Tecnologia, da Diretoria Adjunta de Política de Desenvolvimento, dentre outros.

 

O evento foi encerrado com a visita no sítio São José, que possui animais de genética mais apurada, com produtividade média de leite de 30 litros/dia por matriz e que também adota a metodologia do CATI Leite. Nessa propriedade existem dois módulos de Napier, com 22 piquetes cada e lotação de 12 vacas/ha e um módulo de mombaça, com 28 piquetes. A produção de leite tem variado de 500 a 700 litros/dia.

 


 Associações da região de Botucatu recebem visita de equipe avaliadora do Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado

 

Nos dias 21 e 22 de março, representantes da  equipe técnica de avaliação estiveram na região de Botucatu, visitando três associações que encaminharam propostas de iniciativas de negócio na segunda chamada pública do Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado.

 

As visitas in loco fazem parte do processo de avaliação das propostas enviadas e têm como objetivo conhecer melhor o funcionamento das associações, e auferir se os dados informados nas propostas de iniciativas de negócio são condizentes com a realidade. Dessa forma, é possível ter mais elementos para se realizar uma avaliação justa, que apoie as iniciativas de negócios dos produtores com maior viabilidade socioeconômica e ambiental.

 

No dia 21 de março, foram visitadas as Associações de Agricultura Familiar de Laranjal Paulista (Afalapa) e a Associação dos Produtores Rurais de Laranjal Paulista (Asplapa). A  Afalapa encaminhou uma proposta com 15 produtores envolvidos, propondo a instalação de um entreposto para recebimento, seleção, padronização e embalagem da produção olerícola do grupo, que funcionará também como um ponto comercial, para facilitar o acesso a novos mercados. Está previsto neste plano a construção da infraestrutura do entreposto e a aquisição de máquinas para embalagem dos produtos.

  

A proposta da Asplapa engloba 31 produtores, e propõe a instalação de uma unidade de recebimento, pré-limpeza, limpeza, secagem, armazenamento e beneficiamento de grãos, além de uma fábrica de ração anexa, com a finalidade de agregar valor à produção agropecuária e acessar novos mercados. O empreendimento englobará obras civis e instalações.

 

 

No dia 22 de março, a visita foi realizada na Associação de Apicultores do Polo Cuesta (AAPC), com sede em Itatinga. O plano de negócios apresentado foi aprovado em 2012,  está em processo de aquisição de 22 tipos de equipamentos de uso coletivo para o funcionamento e legalização da casa do mel, com o objetivo de agregar valor ao produto. No momento, a associação está apresentando uma nova proposta com 16 apicultores, que é complementar à proposta anterior, com o objetivo de promover melhorias na estrutura física da Casa do Mel de Itatinga, atendendo às normas do Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal para obtenção do certificado do Serviço de Inspeção Federal (SIF), o que abrirá novos mercados para a associação.

  

Cláudio Vivan, diretor da CATI Regional Botucatu, considera que o resultado das visitas foi positivo e que a equipe técnica conseguiu atingir os objetivos esperados. “Além do acompanhamento das três propostas da segunda chamada, os funcionários da Regional estão dando suporte para as organizações efetivarem as compras referentes às quatro propostas aprovadas na primeira chamada. Além disso, já iniciaram os trabalhos de divulgação da terceira chamada do Projeto, que tem data prevista para acontecer no início de abril.

 


Casa da Agricultura de Cosmópolis promove curso sobre a cultura do maracujá

 

A Casa da Agricultura de Cosmópolis, pertencente à CATI Regional Mogi Mirim, promoveu, no final de março, curso sobre a cultura do maracujazeiro. As palestras foram proferidas pela pesquisadora Laura Maria Molina Meletti, do Centro de Horticultura do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), e contou com a participação de produtores e técnicos. O objetivo do evento foi atender à demanda dos produtores por novas alternativas para diversificar a renda agrícola na região, cuja atividade principal é a citricultura.

O curso abordou temas como: planejamento e implantação, produção de mudas, adubação e polinização, pragas e doenças, colheita e pós-colheita, rentabilidade e comercialização. Foi discorrido sobre o direcionamento da produção do pomar: para frutas de mesa ou indústria. No item sobre comercialização, foi relatada a importância de o produtor vender diretamente para o comprador (Ceasa, supermercados, indústrias etc.), sem a participação de intermediários, obtendo, assim, maior rentabilidade.

 

O evento foi coordenado pelo engenheiro agrônomo André Luiz Xavier de Macedo Barreto, responsável pela Casa da Agricultura de Cosmópolis, com apoio do engenheiro agrônomo do município, Elano Marçal Torquato.

 


CATI Regional Lins Participa de Semana Comemorativa ao Dia Mundial da Água

 

A Prefeitura Municipal de Lins fez uma extensa programação para comemorar o Dia Mundial da Água, ocorrido no dia 22 de março. Os eventos foram realizados em parceria  com escolas, empresas e instituições, como a Casa da Agricultura, a Sabesp, a Câmara Municipal, o Sindicato Rural, entre outras, envolvidas com o meio ambiente.

 

Durante 10 dias foram organizadas palestras, gincanas, apresentações artísticas, soltura de peixes, concurso cultural e visitas a córregos e à estação de tratamento, como parte das ações de conscientização da população.

 

O encerramento aconteceu no dia 28 de março, com visita a uma nascente na propriedade da família Malagoli, no Bairro Campestre, onde o diretor substituto da CATI Regional Lins, Maurício de Toledo Barros,  relacionou as ações realizadas, entre as quais: o trabalho de readequação da estrada rural “Antonio Malagoli”, o controle de voçorocas, a readequação de terraços e a recomposição da mata ciliar com plantio de árvores nativas, trabalho esse efetuado por meio do Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas.

 

De acordo com moradores dos sítios próximos ao córrego recuperado, os benefícios são visíveis e demonstram que vale a pena conservar o meio ambiente, pois todos necessitam dos recursos naturais para sobrevivência direta e a produção de alimentos.

 

 

 

9.º Encontro de Fruticultura

Datas: 12 e 13 de abril de 2013

Horário: 8h

Local: Estr. Munic. Pedro Soares de Lima, s/n. - Bairro Tijuco Preto - Jarinu (SP)

Informações: (11) 4016-5833

 

 

V Seminário sobre Conservação  do Solo e Proteção de Recursos Naturais

Datas: 15 e 16 de abril de 2013

Horário: 8h

Locais: dia 15 - Anfiteatro do IAC - Av. Barão de Itapura, 1,481 - Guanabara - Campinas (SP) e dia 16 - Centro Experimental Central do IAC - Av. Theodureto de Camargo, 1,500 - Campinas (SP)

Informações: (19) 2137-0644 / www.cnpm.embrapa.br

 

 

 

5.º Simpósio do Agronegócio Café da Alta Mogiana - Sim Café

Datas: 17 e 18 de abril de 2013

Horário: 8h

Local: Salão Villa Ventura - Rod. Ronan Rocha, Km 29 - Franca (SP)

Informações: (16) 3711-6235 ou www.cocapec.com.br

 

 

 

I Ciclo de Palestras sobre a Cadeia Produtiva da Olericultura

Data: 18 de Abril de 2013

Horário: 8h

Local: Salão Nobre da Prefeitura - Macatuba (SP)

 

 

 

2.º Dia de Campo - Integração Lavoura-Pecuária - Implantação do Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas – Integra SP

Data: 19 de abril de 2013

Horário: das 8 às 16h

Local: Fazenda Ybyete Porã - Acesso a direita km 70 da Rodovia Brigadeiro Eduardo Gomes (SP-457) - Sentido Rancharia/Bastos -  Rancharia (SP)

 

 

 

Curso "Compras Governamentais - Perspectivas e Desafios"

Data: 19 de abril de 2013

Horário: 8h

Informações e inscrições: CATI Regional Avaré - Rua Santa Catarina, 1.901 - Centro - Avaré (SP) - Tel.: (14) 3733-1977 ramal 29/30 com Sérgio Faria/Paulo Tamassia

Vagas limitadas: 60 participantes

 

 

5.º Dia de Campo de Milho

Data: 20 de abril de 2013

Horário: 7h30 às 13h

Local: UFSCar - Centro de Ciências Agrárias - Rod. Anhanguera, km 174 - Araras (SP)

Informações: du.pacheco@hotmail.com / guilherme.velotti@hotmail.com

 

 

XI Semana de Fitoterapia - Prof. Walter Radamés Accorsi

Datas: de 23 a 26 de abril de 2013

Locais: de 23 a 25 - Parque das Águas - Rua Visconde de Congonhas do Campo, 567 - Pq. São Martinho - Campinas (SP) e dia 26 - CATI - Av. Brasil, 2.340 - Jd. Chapadão - Campinas (SP)

Informações: (19) 3743-3795 (Rosângela) ou www.cati.sp.gov.br

 

 

 

 

            EXPEDIENTE

Editora Responsável:  Cleusa Pinheiro (MTB 28.487-SP)

 

Jornalistas: Cleusa Pinheiro (MTB 28.487-SP), Graça D'Auria (MTB 18.760-RJ), Nathália Sena (MTB 58.934-SP), Roberta Lage (MTB 43.382-SP) e Suzete Rodrigues (MTB 57.378-SP)

 

Web Designer: Lilian Cerveira

 

Revisor: Carlos Augusto de Matos Bernardo

 

Diretor do Departamento de Comunicação e Treinamento: Ypujucan Caramuru Pinto

 

Diretora do Centro de Comunicação Rural: Roberta Lage


O CATI On-Line é um boletim semanal produzido pelo Centro de Comunicação Rural (Cecor/CATI)


Av. Brasil, 2.340 - Campinas / SP - Telefax: (19) 3743.3869
www.cati.sp.gov.br - E-mail: cecor@cati.sp.gov.br

Indique este boletim para seus amigos.
Para receber este boletim semanalmente, cadastre-se no nosso site.