Governador e secretário de Agricultura assinam repasse de mais de R$ 5 milhões que beneficiam 11 municípios com readequação de estradas rurais

Acesse o vídeo


Na última assinatura do ano de 2017, de convênios com prefeituras para readequação de estradas, com recursos do Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado, o governador Geraldo Alckmin e o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, fizeram um balanço e uma prestação de contas do Projeto que vem beneficiando produtores rurais de quase 300 associações e/ou cooperativas. Ambos comentaram sobre a importância das estradas, não só para melhorar a logística de entrega de produtos, mas também para a qualidade de vida daqueles que moram em áreas rurais e necessitam transitar com segurança em veículos escolares, ambulâncias, enfim, ir e vir. Alckmin lembrou, ainda, que “não há um só município no Estado de São Paulo que não conte com a força do agronegócio” e que o Estado é o maior produtor brasileiro em diversas cadeias, de máquinas a ovos, suco de laranja, borracha e outros produtos. “A agricultura fez a diferença e gerou empregos no Brasil inteiro, mesmo nesse período difícil, de crise, que o País vem enfrentando”, afirmou o governador.

Com os convênios assinados no Palácio Bandeirantes, sede do governo paulista, no dia 1.º de dezembro, no valor total de R$ 5.540.971,59, 11 municípios da área de atuação de sete Regionais CATI poderão ter trechos de estradas readequados. No total, serão mais 83,22km em trechos que variam de pouco mais de 4,1km, no município de Presidente Prudente, até 14,25km no município de Capela do Alto, da área de atuação da CATI Regional Sorocaba. Os valores também variam entre pouco mais de R$ 336 mil até pouco mais de R$ 691 mil.

A diferença entre trechos e valores depende do tipo de terreno e da obra que será realizada. Estradas “encaixadas”, ou seja, estreitas e com barranco alto precisam de maior movimentação de terra e, consequentemente, mais hora/máquina. Outras precisam apenas melhorar o acabamento. Quem explica é Marco Aurélio Fernandes, diretor da CATI Regional Presidente Prudente. “Hoje, os prefeitos de Anhumas, Narandiba, Santo Expedito e Presidente Prudente estão sendo beneficiados. As Propostas de Negócio apresentadas ao Projeto Microbacias II e que resultaram na verba para readequação das estradas são variadas; em Anhumas uma fábrica de ração, em Narandiba a cadeia é a da fruticultura, assim como em Presidente Prudente, onde foi construído um packing house para processamento de frutas e olerícolas, e em Santo Expedito a cadeia do leite foi a responsável pelo benefício. Assim que houve a aprovação, já começamos a pensar e trabalhar nos projetos para as estradas, que resultaram em uma verba total de quase R$ 2 milhões”, conta Marco.

       


O coordenador-substituto da CATI, Gustavo Marcelo de Almeida Oliveira, que na ocasião representou João Brunelli Júnior, lembrou que desde o início do Projeto Microbacias II já foram investidos R$ 48.032 milhões na readequação de 1.138km de estradas rurais. “Temos uma expectativa de que em torno de mais 50 projetos sejam apresentados em 2018 e contamos com uma verba em torno de R$ 36 milhões para ser liberada”, afirmou Gustavo Oliveira. O prefeito de Adamantina, Márcio Cardim, afirmou que três associações do município foram beneficiadas pelo Projeto Microbacias II e ele espera estar na próxima leva de convênios para readequação de estradas. “O apoio que tenho recebido da Casa da Agricultura e do técnico da CATI, Maurício Konrad, tem sido fundamental”, afirmou Cardim.

Em Jeriquara, município da área de atuação da CATI Regional Franca, o prefeito  Éder Luiz Carvalho acompanhou a Associação dos Cafeicultores de Jeriquara desde seu início, quando foi instalada nas dependências da Casa da Agricultura local. “Eu atuo como prefeito hoje, mas sou funcionário público da Prefeitura de Jeriquara e acompanhei de perto os avanços que o Projeto Microbacias II trouxe. Hoje, a Associação conta com sede própria, o café produzido tem o selo Fair Trade e é exportado com valor agregado. A estrada (7,34km) vem coroar todo o trabalho realizado pela CATI em Jeriquara. Em Tabatinga foram quase 10km e o prefeito Eduardo Martinez teve a verba de R$ 662.133,86 para readequar a estrada.

Para o secretário Arnaldo Jardim, “é hora de outras prefeituras também aproveitarem essa verba disponível e se organizarem junto à CATI para apresentarem projetos e licitarem as obras”. A prestação de contas dessa verba deverá ser feita ao Banco Mundial até setembro de 2018, data prevista para o término do Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado. Apenas prefeituras que tiveram organizações rurais com Propostas de Negócio aprovadas pelo Projeto Microbacias II têm direito a essa verba de readequação de trechos críticos de estradas rurais, pois as obras visam atender à infraestrutura e à logística para que esses grupos possam melhor escoar a sua produção.


Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859
jornalismo@cati.sp.gov.br