Instituições se unem para fortalecer cooperativa de Mogi das Cruzes

No dia 11 de janeiro, o esforço conjunto entre a CATI Regional Mogi das Cruzes, a organização não governamental (ONG) Agrisud e uma reconhecida rede hoteleira internacional, as duas últimas de origem francesa, resultou na primeira entrega de hortaliças da Cooperativa Agrícola Eco Verde de Mogi das Cruzes (CooperMogi) para atender à demanda do restaurante de um dos hotéis da rede, sediado em Mogi das Cruzes. Tal entrega foi acompanhada pelo diretor da CATI Regional Mogi das Cruzes, Felipe Monteiro de Almeida, e pela responsável pela Casa da Agricultura de Mogi das Cruzes, Gisele Santana de Oliveira, que acompanharam todo o processo, desde a formação da Cooperativa, os ajustes no campo, até o contrato de comercialização de produtos.

Essa primeira entrega de produtos foi muito importante para todos que acompanharam o histórico de sucesso da CooperMogi. A organização nasceu a partir de uma associação de moradores, cujo foco era a regularização fundiária, daí surgiu, em 2015, a demanda da criação de uma cooperativa que englobasse os produtores rurais da área, para que pudessem buscar novos mercados. Com a intenção de auxiliar os cooperados, a diretoria da CooperMogi  pediu auxílio à CATI que, por sua vez, chamou o Instituto de Cooperativismo e Associativismo (ICA), ambos órgãos da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo (SAA), para também colaborar nesse processo. “O grupo necessitava melhorar o capital social entre seus membros, para conseguir o aperfeiçoamento técnico na produção, gestão e comercialização, buscando a sustentabilidade produtiva, econômica e ambiental”, explica a engenheira agrônoma Gisele Santana de Oliveira.

Ao longo dos últimos dois anos, a CooperMogi recebeu acompanhamento contínuo da CATI, sendo realizados diagnósticos para identificar as principais oportunidades e prioridades da Cooperativa e promover capacitações sobre gestão, técnicas de produção, políticas públicas e mercados institucionais. “A CATI também deu o suporte necessário para as questões legais, tais como orientações para a constituição da Cooperativa e emissão do CNPJ; orientou quanto ao planejamento de produção coletivo, visando às entregas aos novos mercados;  e está acompanhando e dando suporte técnico à transição agroecológica do grupo. Hoje, há 16 cooperados produzindo juntos mais de 37 itens de produtos hortícolas, totalizando quase 100 toneladas de produção mensal, segundo levantamento feito em outubro de 2018”, explica a técnica.

Parceiros fizeram toda a diferença no apoio à CooperMogi

Um dos parceiros contatados pela CooperMogi foi a ONG Agrisud, que desde 2009 tem parceria com um importante e reconhecido clube de hotéis, também de origem francesa. A Agrisud há 25 anos atua em diversos países do mundo ajudando as comunidades humanas a saírem da pobreza e viverem com dignidade em suas terras, chegando à autonomia econômica e social. A ONG também promove o desenvolvimento sustentável de territórios rurais ou periurbanos, permitindo, assim, a preservação ou restauração de ecossistemas estáveis e férteis.

Segundo Elphège Ghestem-Zahir, diretora adjunta de operações da Agrisud International, "este projeto visa melhorar a capacidade dos produtores locais e apoiá-los em uma exploração mais sustentável de suas terras, com base nos princípios da agroecologia. A criação e o fortalecimento de cadeias de fornecimento locais baseiam-se num princípio “ganha-ganha”, no qual a rede de hotéis se beneficia de produtos agroecológicos (saudáveis e ecologicamente corretos) e com rastreabilidade; e os produtores rurais melhoram suas práticas agrícolas para terem produtos de melhor qualidade, em quantidade e regularidade, e assim se beneficiarem com um novo canal de comercialização e consequente aumento de suas rendas".

A rede hoteleira francesa presta serviços de hotelaria e lazer e possui dezenas de resorts, conhecidos como villages, distribuídos em várias partes do mundo. O objetivo do hotel ao promover essa relação comercial com a Cooperativa é apoiar o desenvolvimento de uma cadeia sustentável de abastecimento, adquirindo produtos de agricultores familiares locais os quais estejam comprometidos em realizar a transição agroecológica.

Para Christian Menezes, gerente de estoque e suprimentos de um dos hotéis da rede, localizado em Mogi das Cruzes, "essa ação tem muito a acrescentar ao hotel, principalmente quando priorizamos a sustentabilidade econômica, ambiental e social da região em que estamos situados, onde temos diversos agricultores independentes que podem nos oferecer uma vasta variedade de produtos frescos e ecologicamente corretos. A expectativa é que a nossa empresa possa ajudar a fomentar o desenvolvimento e a expansão da Cooperativa."

“A Agrisud foi contratada para intermediar as ações e, reconhecendo o trabalho de extensão desenvolvido pela CATI, procurou a CATI Regional Mogi das Cruzes para que lhe fossem apresentadas algumas organizações da região, com o objetivo de identificar aquela que poderia melhor atender à proposta da parceria. A CooperMogi, naquela ocasião, estava em processo de formalização e obtenção do CNPJ e foi a escolhida para o projeto pelas suas características sociais e de produção”, explica o diretor da CATI Regional Mogi das Cruzes, Felipe Monteiro de Almeida.

Antes de a primeira venda acontecer, a proposta da relação comercial foi apresentada aos agricultores pela representante da ONG, Julie Terzian, que esteve na sede da Cooperativa acompanhada pelo diretor e pelos técnicos da CATI. O chef de cozinha Manoel Carlos Rocha Cruz Junior e a nutricionista Gabriella Bodini, ambos do hotel, também foram convidados pelos produtores para visitarem duas propriedades e verem de perto como era a produção de hortaliças a campo. Além disso, Julie Terzian e a técnica da Casa da Agricultura visitaram cada uma das 16 propriedades. “Na ocasião, foram feitos levantamentos detalhados da produção e da renda para verificar o impacto futuro que a comercialização ao hotel terá no desenvolvimento dos produtores, na aplicação do protocolo de Boas Práticas Agropecuárias (BPA), e no protocolo de transição agroecológica, visto que a adesão aos protocolos foi uma das propostas do projeto e um compromisso assumido por todos, a fim de alcançar maior sustentabilidade ambiental e agregação de valor, em função de muitos consumidores procurarem esse tipo de produto”, contou Gisele Santana.

Para alinhavar a parceria entre os envolvidos, na busca da soma de esforços e otimização dos recursos financeiros, foi construído um plano de trabalho entre todos os envolvidos no projeto. Para o técnico da CATI Roberto Teruo Ohmori, que vem acompanhando a Cooperativa desde o início, "conseguir atender um cliente que necessita de produtos de alta qualidade será um grande desafio e aprendizado para o grupo, e isto trará know-how para a Cooperativa poder atender com qualidade e eficiência qualquer outro projeto comercial”. Felipe Monteiro aponta que “o trabalho de equipe da CATI Regional Mogi das Cruzes, o envolvimento dos parceiros e a determinação dos produtores rurais foram fundamentais para o alcance das primeiras metas do grupo”.

João Batista Gama da Silva, produtor rural cooperado afirmou: "Há muito tempo tenho interesse em produzir hortaliças orgânicas; o apoio do hotel, valorizando e comprando produtos da agricultura familiar e agroecológicos, e o da CATI, apoiando a transição agroecológica, me incentivaram a buscar novas formas de produção mais sustentáveis".

Ricardo Nonaka, presidente da CooperMogi,  enfatizou: "O hotel é nosso primeiro cliente como Cooperativa e está sendo uma grande oportunidade, pois são muito exigentes. Nosso objetivo é fortalecer e consolidar essa parceria, entregando ao hotel alimentos frescos, produzidos de forma sustentável e de alta qualidade”.

Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859

jornalismo@cati.sp.gov.br