Lucianópolis se une em campanha de combate ao greening

Uma campanha promovida pela Casa da Agricultura de Lucianópolis, Prefeitura Municipal, Câmara Municipal, pelo Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitros) e por produtores de citros do município resultaram em uma troca de plantas cítricas e murtas contaminadas pelo greening em pomares domésticos pelo plantio de outras mudas de fruteiras. Várias ações foram necessárias, mas a campanha acabou sendo um sucesso, um exemplo de parceria.

A campanha contou com diversas atividades e teve início com reuniões com o poder público municipal para expor os graves problemas que o greening vem causando na citricultura nacional e municipal, a importância da citricultura no município, como fonte geradora de empregos e renda, entre outras abordagens. Desta forma foi possível buscar o apoio das entidades; posteriormente, foram realizadas palestras para a conscientização dos alunos das escolas municipal e estadual do município. As palestras foram ministradas pelos agrônomos Erika Yamaguti, responsável pela Casa da Agricultura de Lucianópolis, e por Guilherme Rodriguez, do Fundecitrus. Como suporte, foi, ainda, programada uma divulgação por meio de sistema de som e de faixas colocadas em locais estratégicos da cidade.

       


De acordo com Erika Yamaguti, a campanha teve como objetivo conscientizar os diferentes elos do setor citrícola e da sociedade sobre o poder destrutivo do greening e unir forças no combate à doença. “Para combater o greening é preciso eliminar todos os focos da doença, inclusive fora dos pomares comerciais. A colaboração e o envolvimento da população são fatores indispensáveis para romper o ciclo reprodutivo do psilídeo e vencer a batalha contra o greening”, argumentou a técnica da CATI.

A citricultura movimenta 14 bilhões de dólares por ano, gerando 200 mil empregos diretos e indiretos em nível nacional. No município de Lucianópolis são 1.900 mil pés de citros, ocupando 25% da área do município, sendo a principal fonte geradora de renda e responsável pela geração de 70% dos empregos do município. “O greening não é um problema dos citricultores, é um problema de toda comunidade, pois compromete a economia, enfraquece a atividade comercial e acarreta uma série de problemas sociais”, argumentou Erika.

Exemplos de parceria como este de Lucianópolis são muito bem-vindos e apoiados pela CATI Regional Bauru, à qual o município é vinculado.

Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859
jornalismo@cati.sp.gov.br