Microbacias II: Arealva ganha silos para armazenagem de grãos e produtores maior independência e rentabilidade na comercialização


Dezessete famílias de produtores rurais do município de Arealva estiveram em festa no sábado, dia 16 de dezembro. Às vésperas do Natal e de um novo ano, o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, compareceu à Fazenda Corcova, propriedade do produtor José Roberto Trabuco, para entregar, oficialmente, dois silos com capacidade para armazenar 50 mil sacos de 60kg de grãos ou 1.200 toneladas em cada estrutura. O evento que movimentou a zona rural contou com a presença de autoridades, lideranças locais, produtores rurais em evento capitaneado pela equipe da CATI Regional Bauru, tendo à frente, na diretoria técnica, o engenheiro agrônomo Marco Aurélio Parolin Beraldo.

Para realizar toda a obra de infraestrutura para a instalação dos silos, a construção da sede da Associação dos Produtores Rurais de Arealva (Apra), a ampliação de um barracão, além da aquisição de maquinários e equipamentos, foram investidos R$ 1.142.850,00, sendo R$ 800 mil provenientes do Banco Mundial e Governo do Estado, e o restante contrapartida dos associados que conseguiram, para que tudo desse certo, um financiamento de R$ 240 mil junto ao Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap), para ser pago em cinco anos com carência de três anos.

Todo esse investimento só foi possível graças ao Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado, que chega ao sexto ano beneficiando 270 associações e/ou cooperativas em todo o Estado de São Paulo. “Nós só entramos na sexta e última Chamada Pública, era a oportunidade final”, conta Trabuco, que “suou” para convencer os produtores. “Agora quem entrou, acreditou e investiu vai ter prioridade, mas também vamos procurar atender os outros, afinal somos todos companheiros”, frisa o produtor, lembrando a necessidade de se ter um espírito de cooperação para conseguir atingir os objetivos.

O município de Arealva, que tem uma população de cerca de 10 mil habitantes, é conhecido por sua diversidade agrícola. Segundo o prefeito do município, Elson Banuth Barreto, são cerca de 900 propriedades rurais. “Quando o campo vai bem, toda a sociedade de Arealva e entorno ganham, os reflexos podem ser vistos no comércio, na saúde, enfim em todos os setores”.

       


E para garantir que o campo continue indo bem, cada recanto, muro construído e peça metálica recebeu as bênçãos do diácono Antonio Arthur Fernandes, o Toninho, educador reconhecido em Arealva, responsável pela formação de várias gerações, entre elas, a do diretor da CATI Regional Bauru, Marco Beraldo, que trabalhou por 10 anos na Casa da Agricultura e ainda tem a família vivendo na região, e a do secretário-adjunto da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA), Rubens Naman Rizek Júnior, que fez questão de lembrar das travessuras de moleques que iam pescar e nadar nas águas do rio Tietê que passa pela região. São várias gerações de “Rubens”, conta o adjunto; seu pai, também produtor rural, é, atualmente, membro do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural (CMDR) e também compareceu para prestigiar os produtores de grãos.

Responsável pela Casa da Agricultura de Arealva, a engenheira agrônoma Milaine Trabuco Labella é membro da conhecida família de agricultores, a família Trabuco. Mesmo assim, devido à proporção do investimento, ela conta que foi difícil convencer a todos os produtores de que o Projeto Microbacias II era uma oportunidade de crescer e que sozinhos não conseguiriam. E foi seu pai, José Roberto Trabuco, que já tinha dois pequenos, mas conhecidos silos na propriedade, que acabou cedendo a área para a construção. E agora os demais maquinários, como a balança, vão ficar por sua conta. A cessão será por 20 anos. “Todos os produtores conhecem meu trabalho, o cuidado na secagem dos grãos, mas já não havia mais espaço”, conta Trabuco. Ao todo, 25 famílias produzem grãos na região, principalmente milho e soja, esta última vem entrando com vigor nas áreas que margeiam o rio Tietê, caso da Fazenda da Corcova.

Durante a inauguração, apesar do sol escaldante de quase início de verão, ninguém desanimou e os convidados foram chegando aos poucos para ouvir as palavras de incentivo do secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, e do secretário-adjunto, Rubens Rizek Júnior. Jardim lembrou que a cana-de-açúcar, forte na região, vem cedendo espaço para os grãos e que há uma previsão de crescimento em torno de 10% nessa cadeia. “Três anos de crise política e econômica mostraram que o agro é o setor que pode alavancar o País”, afirmou Jardim.

Falando sobre espaços agricultáveis, o secretário lembrou que, com apenas 10% de uso de solo para a agricultura (20% se forem contadas as áreas de pastagens), o Brasil se destaca no cenário agrícola, sendo grande produtor de vários gêneros alimentícios, da carne ao suco de laranja, passando pela cafeicultura, produção de borracha natural, enfim uma gama de possibilidades. “E nos cenários brasileiro e paulista tem destaque um Projeto inovador como o Microbacias II – Acesso ao Mercado, que empoderou as associações de produtores, tornando-as mais qualificadas a atingir novos mercados. E deu um recado: “Que em 2018, os produtores paulistas possam continuar trabalhando juntos, apoiando suas entidades porque só por meio da união é que são feitas conquistas que beneficiam a todos”.

       



Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859
jornalismo@cati.sp.gov.br