PANC: da natureza para a mesa

CATI lança série de minivídeos sobre PANC: plantas alimentícias não convencionais

PANC, acrônimo popularmente difundido para as plantas alimentícias não convencionais, alcunhado pelo biólogo Valdely Kinupp, é tema de uma série de vídeos curtos em que o engenheiro agrônomo e extensionista rural da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA), Osmar Mosca Diz, apresenta espécies que, espontâneas na natureza, podem ser cultivadas em ambiente doméstico para enriquecer a alimentação humana.

Essas plantas, ricas em nutrientes e de fácil propagação, são também alternativa alimentar para quebrar a monotonia e colocar mais diversidade no prato.

“Nossa intenção é apresentar as PANC, difundir o conhecimento sobre elas e, também, resgatar o conhecimento tradicional sobre aquelas mais consumidas e utilizadas no passado. Por meio desse trabalho, queremos que essas plantas, que insistem em viver em nosso meio e que são abundantes, sejam cada vez mais reconhecidas como alimentos. Como extensionistas, nossa função também é realizar encontros e oficinas sobre identificação, cultivo e uso das PANC como alimento. Ninguém procura aquilo que não conhece. E é essa procura que incentivará a demanda”, comenta.

Serão oito capítulos, publicados todas as quintas-feiras, a partir do dia 19 de maio. O extensionista rural da CATI dá dicas e apresenta as principais características das PANC, na Fazendinha Feliz, projeto de educação ambiental da CATI que fica em Campinas (SP). Cada vídeo aborda uma planta: araruta, bertalha-coração, coentrão, erva-baleeira, vinagreira, malvarisco, ora-pro-nóbis e taioba.

A série PANC será veiculada no canal da CATI no YouTube (clique aqui) e divulgada nas redes sociais.