Produção Vegetal


Nabo - adubo verde, forragem e bioenergia

 

Que tipo de planta é essa?

O nabo forrageiro (Raphanus sativus L.) é uma planta anual da família das crucíferas, de hábito de crescimento ereto, herbáceo, com intensa ramificação e altura variando entre 1,00 e 1,80m.

 
A que se destina a cultura?

Tradicionalmente é utilizada como adubação verde, ao fornecimento de massa (palha) para o plantio direto, como cobertura do solo e reciclagem de nutrientes. Com menor freqüência, destina-se à alimentação animal e a pasto apícola. Recentemente seu uso vem sendo ampliado, com destaque para os grãos que estão sendo considerados como excelente fonte de matéria-prima para produção de biocombustível.

 
Quais as principais características?

É uma planta muito vigorosa, com sistema radicular pivotante e agressivo, capaz de romper camadas de solo extremamente adensadas e/ou compactadas a profundidades superiores a 2,50m.

Apresenta, ainda, características alelopáticas¹ muito acentuadas que lhe conferem a condição de inibir a emergência e o desenvolvimento de uma série de invasoras indesejáveis.

Até o momento, não existem pragas ou doenças que causem danos significativos que mereçam controle e que venham comprometer economicamente a cultura.

 
Quais as suas características agronômicas?

Aos 60 dias cobre cerca de 70% do solo, inibindo a entrada e o desenvolvimento de plantas daninhas, seja nas culturas em andamento seja nas futuras, reduzindo ou dispensando o uso de herbicidas. Floresce entre 70 e 80 dias após o plantio e atinge sua plenitude aos 100 a 120 dias. Possui excelente capacidade de produção de massa, com volumes próximos de 15 toneladas por hectare.

Possui, ainda, alta capacidade de reciclagem de nutrientes do solo, principalmente do fósforo e nitrogênio. Seu sistema radicular vigoroso pode ser classificado como excelente subsolador natural. Os efeitos benéficos nas culturas seguintes são visuais. Uma cultura de milho implantada após a cultura de nabo forrageiro chega a produzir uma tonelada a mais por hectare se comparada com uma área deixada em pousio.

É pouco exigente em fertilidade, resistente a solos ácidos e produz de 5 a 10 toneladas de massa seca por hectare. É bastante tolerante à seca e ao frio.

 
Qual o uso do nabo forrageiro como adubo verde?

O plantio se dá nos períodos de outono e inverno. Com vistas à sua incorporação, a condução da cultura é aceitável até o final de seu ciclo, porém é recomendável que seja realizada no auge da sua produção vegetal e que seja executada, preferencialmente, com rolo-faca. Pela sua agressividade e rápido crescimento, promove a rápida cobertura do solo controlando de forma eficaz a erosão, como também mantém, estimula e preserva a vida microbiana.

 Tecnicamente recomenda-se evitar o uso de grades para incorporação da vegetação, pois essas, pelas suas características operacionais, obstruem os canículos ou orifícios deixados pelas raízes por onde a água penetrará no solo e subsolo.

É recomendado em rotação com culturas anuais, em pomares novos ou com outras culturas perenes.

Em razão da baixa relação carbono/nitrogênio (C/N), a decomposição de sua palha é muito rápida. Para que essa palha perdure por mais tempo sobre o solo, o consórcio com aveia, triticale ou outra gramínea favorece a sua maior permanência.
 

Como essa planta verde vem sendo usada na alimentação animal?


Por suas características fenológicas, o nabo forrageiro tornou-se uma alternativa de relativo valor alimentar no trato de animais, seja nas formas de pastejo direto e silagem, seja no corte para fornecimento no cocho. É mais uma promissora alternativa na integração agricultura - pecuária. A torta resultante do processo de prensagem dos grãos é usada como concentrado protéico.

 
E como é utilizada para pasto apícola?

A florada se dá no inverno. Pela intensidade e duração da florada, em média 30 dias, a produção de mel de alta qualidade (mel escuro) é mais uma alternativa de mercado e fonte adicional de renda. Para aumentar a amplitude e o tempo de florada, recomendam-se plantios sucessivos com intervalos entre 15 e 20 dias. Pode ser usado em pomares para desviar a atenção de insetos que estragam frutos ou flores.
 

Serve como matéria-prima para biocombustiveis?

Sim. Seus grãos, com cerca de 40% de óleo quando esmagados, são mais uma opção agrícola para fins energéticos. O óleo, comprova-damente, presta-se à produção de biodiesel e, para tanto, já foi testado in natura e, pela sua eficiência, é utilizado como combustível alternativo no lugar do óleo diesel.
 

O que é a torta de nabo forrageiro?

O esmagamento artesanal ou industrial dos grãos produz óleo, torta e farelo. A torta resultante do processo de prensagem mecânica com 93,53% de matéria seca apresenta composição de 39,01% de proteína bruta; 4,98% de matéria mineral; 13,15% de extratos etéreos (gorduras); e 5.064cal/g de energia bruta. Tratando-se de farelos obtidos pelo uso industrial de solventes, a porcentagem de gorduras cai para 1,0 a 0,5% e aumentam proporcionalmente os outros componentes. Como concentrado pode ser usada na formulação de rações para as diversas espécies animais.
 

Qual a época de plantio ou semeadura?

Na região centro-sul, a partir da segunda quinzena de março até início do inverno (junho). Pode-se lançar mão de outras datas desde que haja condição apropriada de umidade para germinação das sementes e desenvolvimento inicial das plantas. A época de plantio e os teores de umidade do solo têm forte correlação com o volume de produção, independentemente a que fim se destine a produção.
 

Qual o espaçamento e o gasto com sementes?

O consumo de sementes pode variar de 3 a 15kg/ha.

No caso do plantio em linha, este deverá ser realizado preferencialmente por meio de plantadeira e/ou semeadora de plantio direto, com espaçamento que variem de 0,17 a 0,40m entrelinhas, e uma densidade média de 25 sementes por metro linear, consumindo-se de 3 a 10kg por hectare.

Para o plantio a lanço, recomenda-se misturar as sementes exclusivamente com calcário ou adubo fosfatado (não utilizar outras fontes de fertilizantes) numa relação de um quilo de sementes para 50kg, tudo visando facilitar a operação de semeadura. Nesse caso, a incorporação das sementes deve ser superficial e por meio de grade leve e o consumo de sementes aumentará cerca de 20%.

 
Como se dá a produção de grãos?

A quantidade de grãos obtidos é muito controversa. Existem informações de volumes entre 400 e 1.000kg por hectare. Pela desuniformidade de maturação dos frutos e pela alta deiscência das sementes, não se recomenda esperar que todos os frutos atinjam sua maturidade plena em nível de campo, pois as perdas de produção serão expressivas. Uma boa regulagem da colheitadeira e uma operação de colheita realizada antes da seca total da planta poderão melhorar muito a eficiência e o resultado da colheita.

 
Onde encontrar sementes de nabo forrageiro?

A CATI desenvolveu uma variedade de nabo de grande porte: CATI AL 1.000. As sementes de nabo forrageiro e outras, como de aveia e triticale, podem ser encontradas nos Postos de Sementes e Mudas da CATI ou encomendadas nas Casas da Agricultura em todo o Estado.
__________


¹Alelopatia (toxicidade biogênica) – Um organismo inibe o crescimento ou a presença de outro organismo por meio da liberação de substâncias químicas inibidoras alelopáticas.